Wilson Beserra, Eleições, Biometria, Títulos Cancelados

Ao menos 3,6 milhões de eleitores não poderão votar nas eleições de 2018. Isso porque tiveram os títulos cancelados. Os brasileiros que não fizeram o cadastramento biométrico estão proibidos de votar neste ano. O levantamento é baseado em dados dos tribunais regionais eleitorais (TREs) espalhados pelo Brasil. Os números são referentes ao período de 2017-2018, quando 862 cidades de 17 estados passaram pela revisão biométrica obrigatória. Ao todo, estão aptos a participar do pleito mais de 147 milhões de eleitores.

Desde 2017, 1.244 cidades de 22 estados atualizaram o sistema de voto e agora usam o biométrico. Os estados do Espírito Santo, Paraíba, Pernambuco, Roraima e Rondônia não informaram a quantidade de títulos cancelados. Outros estados e o Distrito Federal fizeram a revisão em anos anteriores, enquanto no Amazonas, o procedimento não foi exigido.

A Bahia foi o estado com mais títulos cancelados, um total de 710.636. O estado brasileiro com mais eleitores aptos é São Paulo, com 33.040.411. Já o Acre tem o menor número de títulos cancelados, 12.564, e o menor número de eleitores aptos, 547.680. O dia 9 de Maio deste ano foi o último prazo para que o eleitor fizesse sua inscrição eleitoral, transferir ou atualizar os dados de seu título para participar das eleições 2018. O prazo para o cadastro eleitoral será reaberto no dia 5 de novembro.

Sistema biométrico

Até outubro de 2017, o percentual de eleitores regularizados era de 44%. Desde então, mais de 87 milhões de brasileiros fizeram o cadastramento biométrico, um avanço de 16% pontos percentuais, chegando à casa dos 60%. Apesar disso, apenas 73,7 milhões vão votar usando a biometria, enquanto os outros 13,3 milhões de brasileiros votarão em cidades que não têm o reconhecimento das digitais.

Os estados do Alagoas, Amapá, Goiás, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte, Roraima, Sergipe e Tocantins, além do Distrito Federal, concluíram o processo de cadastramento biométrico. Das 27 unidades da federação, 22 têm mais da metade de cadastrados. São Paulo (45,1%), Minas Gerais (30,2%) e Rio de Janeiro (18,7%) são os estados com as taxas mais baixas.

A Justiça Eleitoral pretende identificar todos os eleitores por meio de impressão digital até 2022.

Identificação biométrica

O objetivo da revisão biométrica é tornar as eleições mais seguras e evitar fraudes. Os dados de todos os dedos são coletados, mas apenas um é utilizado na hora da votação. O processo é simples, a coleta das digitais é feita em poucos segundos. Além disso, é tirada uma foto e cadastrada uma assinatura digital.

Cadastre-se aqui

Gostou deste conteúdo? Faça um comentário!

avatar
Fechar Menu